Esse blog é uma homenagem às minhas avós, às avós do meu filho e a todas as mulheres que tem a doce experiência de serem avós. Acredito que no âmbito familiar poucas coisas são tão saudáveis quanto o estar na casa da vovó, desfutar de sua companhia, de seus quitutes e fazer descobertas diárias sobre o mistério que envolve a distãncia entre as coisas do tempo da vovó e a nossa vida cotidiana, principalmente quando somos crianças.

Seguidores

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Nhô Bento

Fonte: chinelo.

Vovó muitas vezes viaja para visitar uns parentes que ela tem lá na Laje dos Bentos. Eles são uma gente muita engraçada. Moram numa casa de fazenda velha e não se importam se ela está caindo aos pedaços. Acham que a vida é assim mesmo e o melhor é guardar o dinheiro debaixo do colchão para o caso de alguma necessidade.
Ela chegou de lá ontem a tarde e hoje de manhã já nos contou uma das aventuras do Nhô. Ele é seu irmão mais velho, já está com as vistas cansadas e anda contando os passos.  Disse que nos últimos tempos está com mania de economizar lenha e controla a quantidade de comida que a mulher faz.
Vovó ficou sabendo que no mês passado ele viajou numa romaria para pagar uma promessa. Dizem que lá pelas tantas da madrugada ele queria urinar e pediu ao motorista para parar o ônibus na estrada.
Nhô desceu do carro meio sonolento e nem percebeu que estava com calçado em apenas um dos pés. Fez suas necessidades e voltou para o lugar. Quando o motorista arrancou o ônibus, Nhô começou a gritar:
- Pára aí homi! Minha precata ficou lá no apeio ...
Voltaram para trás e ao se aproximarem do local avistaram um andarilho com uma precata na mão. Nhô foi logo dizendo:
- Se ôce acha que vai ficar com minha precata, tá muito engando. Passa ela pra cá!
O homem que nada entendeu, saiu em disparada. Assustado, o motorista resolveu que seguiria viagem sem Nhô recuperar seu calçado. 
Quando o dia amanheceu e ao destino se chegou, todos desceram e seguiram para os festejos.
 Nhô, muito contrariado, decidiu comprar calçados novos após a tentativa de andar descalço por algumas horas.  
O dia se foi e no retorno outra viagem noite a dentro. Pela manhã chegaram em casa. Depois de esvaziado o ônibus o motorista resolveu fazer uma revista geral para ver se os passageiros tinham esquecido algum pertence. E ... lá estava ela! Bem debaixo do banco, presa no pedal de descanso para os pés. A precata de Nhô Bento!

5 comentários:

Tina disse...

kkkkkkkk
Que delicia de história!
São histórias como esta, que nos faz rir muito, que são contadas nos nossos encontros ao redor do fogão, meus filhos atiçam os tios para que contem suas histórias, e a noite se vai sem que percebamos as horas passar, um cafe atras do outro, muito bolinho, doce, bolachas...e muuuito riso.
bjs
Tina (MEU CANTINHO NA ROÇA)

Maria Luiza disse...

Oi Ana!!!
Essa história me fez lembrar do meu pai!!!
Ele usava dessas sandálias!!!
Que saudades!!

malu

heloisa de mesquita inoue disse...

e o natal vovó? Um Feliz Natal em sua casa e para os seus! Beijos!

heloisa de mesquita inoue disse...

Feliz Ano Novo Vovó! beijos1

palavras magicas disse...

O rio segue seu curso de forma leve e admirável, sem deixar que as pedras do percurso atrapalhem seu trajeto. As rochas maiores são contornadas, fazendo parte da paisagem. As quedas d’água fazem com que ela caia de forma esplêndida, tendo mais força para continuar.

Que a sua vida seja o rio, você a água e que 2012 seja a paisagem perfeita para (re)começar esse caminho. Erica