Esse blog é uma homenagem às minhas avós, às avós do meu filho e a todas as mulheres que tem a doce experiência de serem avós. Acredito que no âmbito familiar poucas coisas são tão saudáveis quanto o estar na casa da vovó, desfutar de sua companhia, de seus quitutes e fazer descobertas diárias sobre o mistério que envolve a distãncia entre as coisas do tempo da vovó e a nossa vida cotidiana, principalmente quando somos crianças.

Seguidores

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Dividindo as almas ...

Hoje tivemos roda de prosa depois do jantar. Vovó sabe muitas histórias engraçadas, e foi um daqueles dias em que ela quase nos matou de rir. Riquinho de dona Maria do Lamento, veio trazer uns ovos de galinha d'angola para por no ninho das chocadeiras, ficou ouvindo a prosa, riu tanto que chegou a molhar as calças e teve que ir embora às pressas. 
Vovó contou que no cemitério lá de Passa Ninguém, havia um abacateiro carregado. O povo observava as frutas, mas ninguém tinha coragem de comer fruta colhida em cemitério. Para piorar a situação o vigia achava falta de respeito mexer nas coisas que ele conservava para os mortos. Mas mortos não comem abacates!!!
Então, dois amigos combinaram de entrar lá a noite e apanhar os abacates para venderem na Freguesia de Cima. Assim, ninguém iria ficar sabendo quem pegou os frutos e quando a notícia do sumiço se espalhasse, quem os comprou já haveria de tê-los comido e nem se lembrariam ...
Eles pularam o muro, subiram na árvore com as sacolas penduradas no ombro e começaram a dividir os abacates:
- Um pra mim, um pra você...
- Um pra mim, um pra você...
De repente caíram dois abacates do lado de fora do muro! Um dos homens disse:
- Tem problema não. Quando a gente terminar aqui, nós pegamos os de lá! 
O outro respondeu:
- Então tá bom, mas um pra mim e um pra você...
Um bêbado passava do lado de fora do cemitério e escutou a conversa de "um pra mim e um pra você" e saiu correndo para a delegacia.
Chegando lá, disse para o guarda:
- Seu guarda, vem comigo! Deus e o diabo estão dividindo as almas lá no cemitério!
O guarda não acreditou na história, mas para ficar livre do bêbado resolveu acompanhá-lo até o cemitério.
Chegando perto do muro começaram a escutar:
- Um pra mim, um pra você ...
O guarda arregalou os olhos e disse:
- É verdade! É o apocalipse! eles estão dividindo as almas dos mortos e o que será que vem depois?
Continuaram escutando, tremendo, suando frio ...
- Um pra mim, um pra você ... Pronto! Acabou. E agora?
O outro respondeu:
- Agora a gente vai lá fora e pega os dois que estão do outro lado do muro ...
O guarda olhou para o bêbado e ...
- Coooooooooooooorre!!!

3 comentários:

Cantinho She disse...

rsrsrsrsrs
Aqui tem gostinho e cheirinho de infância, de pureza dessa época! Muito bom! Beijo, beijo!
She

heloisa de mesquita inoue disse...

Oi vovó? Passei aqui para matar a saudade... sua casa continua muito aconchegante... é muito bom voltar ao passado que nos trazem boas recordações! Beijo e um bom domingo!

Tina disse...

kkkkkkkkk vovó e suas histórias...adoooooroo!!!
bjs
Tina (MEU CANTINHO NA ROÇA)