Esse blog é uma homenagem às minhas avós, às avós do meu filho e a todas as mulheres que tem a doce experiência de serem avós. Acredito que no âmbito familiar poucas coisas são tão saudáveis quanto o estar na casa da vovó, desfutar de sua companhia, de seus quitutes e fazer descobertas diárias sobre o mistério que envolve a distãncia entre as coisas do tempo da vovó e a nossa vida cotidiana, principalmente quando somos crianças.

Seguidores

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Chá sabugueiro e cama !!!

 
Imagem tirada no ecosanto
 
Primo Zeca está com bolhas d'água no corpo todo. São bem miudinhas mas já percebi que é coisa que pega. Renatinha disse que deve ser catapora, mas vovó não arrisca dizer o que pode ser, porque Zeca não teve febre ainda ... No fundo, acho que ela não quer é nos assustar. Mandou chamar o Batistinha, o moço que cuida da horta e do quintal e pediu a ele para buscar algumas folhas e flores de sabugueiro.
Imagino que ela vai fazer um chá para o coitado do meu primo, pois é para isso que servem as ervas que ela cultiva com tanto cuidado. Esses chás costumam serem amargos e ela nos obriga a tomar uma chaleira inteira ...
Eu não conhecia sabugueiro. Como sou muito curiosa, pedi ao Batistinha para eu ir junto sem que vovó percebesse, porque desde que a Maria Pureza foi picada por uma cascavel e morreu envenenada, os adultos daqui não gostam que entremos no mato cerrado. Se a ordem era buscar folhas no mato, não havia outro recurso a não ser atravessar o pasto e procurar lá na beira da grota. Batistinha disse que a antiga horta ficava lá e muitas ervas que foram plantadas antes de vovó mandar fazer a horta  do quintal  é lá que vamos encontrar. São plantas que viraram árvores.
Calcei um par de botinas velhas que estava no barracão e fui junto para conhecer o pé de sabugueiro. No caminho Batistinha me contou que é uma árvore que dá flores brancas e frutos da cor de jabuticaba. Com as folhas se faz chá para quase tudo, principalmente para por as brotoejas para fora.. É uma planta meio sagrada, pois foi de uma igualzinha a que vimos, que cortaram a madeira para fazer a cruz que Jesus carregou para o calvário.
Assim fiquei sabendo que catapora e brotoeja são parentes. Pela quantidade de sabugueiro que vovó mandou trazer,  todas as crianças da casa terão que beber do chá, para por logo para fora do corpo as cataporas.
Vovó disse que essa doença é contagiosa e se pega muito fácil quando temos contato com alguém infectado. Sei que se eu tiver muita sorte não terei  cataporas, mas de tomar o chá eu não vou conseguir escapar ... Já estão me chamando ... Vai ser chá de sabugueiro e cama!!!

7 comentários:

msgteresa disse...

Oi,Anabela!
Minha amiga, essa estória curiosa me fez lembrar da minha infãncia, e da minha avó materna também!Quando alguém ficava doente, ela costumava fazer uns cházinhos e uns xaropes caseiros, que ela havia aprendido com outras mulheres mais velhas... Mas era tudo bem caseiro e inofensivo, como o xarope de leite, mel e agrião para os dias de tosse. Lembro também do tempo que eu e os meus primos tivemos "catapora" e costumávamos tomar banho com umas folhas para ajudar a curar... Ah, quantas lembranças boas e engraçadas tenho dessa época, quando tudo parecia tão ingênuo e simples! Por isso gosto tanto da tua "casa da vovó"... Um cantinho gostoso,aconchegante e cheio de estórias boas para contar!
Beijos doces pra ti e a vovó!
Teresa
("Se essa lua fosse minha")

Tina disse...

Não me lembro de ter tomado chá de sabugueiro, sei que é "quente", depois não pode nem tomar agua fria, tem que mornar rsrs, banho nem pensar...deve ser bom mesmo, acredito de verdade nos chás , xaropes , cataplasmas que minha avó, minha mãezinha e tias faziam efazem ainda...
Estou com uma gripe!!!! pergunta pra vovó se sobrou um pouquinho de chá...se não sobrou pede pro Batisdtinha trazer umas folhas pra mim?
bjs
Tina (MEU CANTINHO NA ROÇA)

Suzete Retti disse...

Como era bom o tempo em que tudo era resolvido com chás.
Vida simples sem complicações.
Hoje até um simples resfriado é complicado.
Muito bom seu texto.Bjs.

Lena disse...

Anabela
Adorei o conto e boa sorte com esse blog hiper gostoso e lindo. Já estou te seguindo! Bjkas com carinho!!!!

Elaine Canha disse...

Um chá que eu odiava era o de boldo. Hoje tomo com uma cara mais bonita, mas sempre com açucar.

Beijos

heloisa de mesquita inoue disse...

Hummm! Também tive catapora... ai que vida de criança não é mole! Beijos!

✿ chica disse...

rssss..Tantas lembranças me deu ler esse texto.Era assim mesmo...beijos,tudo de bom,chica