Esse blog é uma homenagem às minhas avós, às avós do meu filho e a todas as mulheres que tem a doce experiência de serem avós. Acredito que no âmbito familiar poucas coisas são tão saudáveis quanto o estar na casa da vovó, desfutar de sua companhia, de seus quitutes e fazer descobertas diárias sobre o mistério que envolve a distãncia entre as coisas do tempo da vovó e a nossa vida cotidiana, principalmente quando somos crianças.

Seguidores

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

A rãzinha vaidosa




Passamos boa parte do dia lavando roupas na bica. Lá no fundo do terreno passa um córrego de águas bem clarinhas e meus tios fizeram um poço com uma bica bem forte que nós usamos para lavar as roupas e tomar banho quando está calor. Zefa não deixa vovó fazer trabalho pesado. Por isso, ela levou um banquinho e ficou olhando de longe lá da sombra de uma goiabeira. Nós aproveitamos para brincar na água e refrescarmos o corpo. Eu até já aprendi a bater a roupa branca na pedra e estender na areia para alvejar. Estou lavando direitinho, só não tenho muita força para torcer os lençóis.
À tardinha sentamos na varanda da sala. O rádio estava meio chiando e ninguém entendia muito o que o locutor falava. Então, Zé Luís teve uma ideia:
- Vovó! Conte uma história daquelas que deixam uma lição?
Vovó não respondeu. Ficou olhando para a escuridão que chegava mansinha, pois ela só não aparece quando temos lua cheia.  De repente começou a falar:
- Rita era uma rãzinha muito vaidosa e isto preocupava os seus pais. Dentre as coisas nada bonitas que fazia, uma era muito perigosa.
Em vez de comer bichinhos pequenos, como fazem todas as rãs, Rita preferia enfrentar bichos grandes, até maiores que ela, só para derrotá-los e, mais tarde, comê-los.
Um dia, ela pensou que poderia ficar tão grande como uma cabra. Quando disse isso a seus pais, eles ficaram tristes e aborrecidos. Disseram a ela que era muito perigoso, mas Rita respondeu:
- Vou, vou, vou ...
Rita procurou as amigas para contar o que pretendia fazer.
-Não faça isto- disseram elas. Você nem sabe o que pode lhe acontecer.
Não adiantou aconselharem a rãzinha. Ela reuniu todos os bichos amigos, pedindo que viessem, na semana seguinte, assistir ao que ela iria fazer.
Os bichos, em grande número, se reuniram em volta de Rita que, cheia de orgulho e vaidade, pediu que eles soprassem com toda a força dentro de sua pequena boca. Eles, então, começaram a soprar, e Rita foi inchando e ficando cada vez maior.
Tudo ia muito bem: Rita aumentava de tamanho cada vez mais até que se ouviu um estrondo: PUM!!!!
Rita, a rãzinha vaidosa, havia estourado... e todos os bichos começaram a chorar muito. Mas cada um dos seus amigos guardou a lição: querer ser mais do que se é, nem sempre traz felicidade.   

3 comentários:

Tina disse...

AMEI!!!!!!!!!!!!
Linda a histórinha que vai ser contada para meus netinhos é claro!
rsrsr
bjs
Tina (MEU CANTINHO NA ROÇA)

Tina disse...

Oi amiga!
Tem selinho pra voce aqui...vwm buscar!!!!!
bjs
Tina (MEU CANTINHO NA ROÇA)

Mônica Bif disse...

Oi Anabela! Muito legal o seu Blog! Amei!!! Sei muito bem o que é passar tempos na casa da vovó, quando pequena morei um tempo com uma, e nas férias vivia na casa de outra, ahhhh, bons tempos aqueles... hoje é uma delas que mora comigo, ajudo a cuidar, como é a vida não é mesmo?! Já convido vc a seguires o meu blog tb: www.blogdamonicabif.blogspot.com. bjkas....